70´s

A Companhia foi constituída em 1973, com uma pequena agência no centro de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, iniciando suas atividades com 6 fuscas usados e financiados.

No final da década de 70, a Companhia iniciou sua expansão, abrindo sua primeira filial em Vitória, Espírito Santo, Brasil. Pouco tempo depois, estava presente no Rio de Janeiro, Salvador, São Luiz e Fortaleza. Ao contrário da concorrência, que optava por concentrar suas atividades nas regiões sul e sudeste do País, a Companhia decidiu inicialmente expandir-se pelo nordeste e, em menos de 3 anos, estava presente na maioria das capitais de tal região.

80’s

Em 1981, a Companhia assumiu a liderança no mercado de aluguel de carros no Brasil, em número de agências. Em 1983, com o objetivo de expandir sua rede, a Companhia iniciou suas atividades de franchising no Brasil, com o licenciamento das 6 primeiras franqueadas, através de sua controlada Localiza Franchising. No início dos anos 90, a Companhia iniciou atividades de franquia no exterior, com a abertura de agências franqueadas na Argentina.

90’s

Também no início dos anos 90, a Companhia iniciou a venda para a renovação da frota, dos carros usados nas Divisões de Aluguel de Carros e de Frotas, direto a consumidores finais com a criação do Seminovos Localiza.

Em 1997, buscando melhorar seu potencial de acesso aos mercados de capitais internacionais, os sócio-fundadores venderam 33,33% da Companhia para o DLJ Merchant Banking, gestor de fundos de investimentos estrangeiros. Ainda em 1997, a Companhia acessou o mercado de capitais internacional por meio da emissão de Senior Note, registradas na SEC (Security and Exchange Commission) com o prazo de 8 anos. Com o objetivo de operar o negócio de aluguel de frotas de forma independente, nesse mesmo ano a Companhia constituiu sua controlada Total Fleet responsável por contratos de longo prazo.

00’s

Em 6 de maio de 2005, foi deferido junto à CVM o registro de companhia aberta, sendo autorizada a negociação pública de valores mobiliários de sua emissão. A Localiza abriu seu capital através de oferta pública, de ações ordinárias, quando o sócio DLJ vendeu a totalidade de sua participação na Companhia. A negociação das ações iniciou-se em 23 de maio de 2005, com a oferta de 21.477.500 ações ordinárias, representativas de aproximadamente 34,40% do capital social.

Em 20 de abril de 2006, a Companhia concluiu uma distribuição primária de 3.825.000 ações, captando recursos de R$156,8 milhões (follow-on). Nesta mesma oferta pública, foi realizada uma distribuição secundária de 5.785.714 ações de titularidade dos acionistas fundadores.

Em 15 de dezembro de 2011, o Conselho de Administração aprovou o lançamento do Programa de American Depositary Receipts – ADRs Nível I da Companhia (“Programa de ADRs”), sem emissão de novas ações. O Programa de ADR Nível I foi aprovado pela CVM no dia 22 de maio de 2012 e o início da negociação ocorreu em 5 de junho de 2012.

A partir de 2 de janeiro de 2012 as ações da Localiza (RENT3) passaram a compor a carteira teórica do Índice Bovespa (Ibovespa). A entrada da Companhia nos índices mostra a confiança e o reconhecimento que a Localiza adquiriu junto aos investidores nacionais e internacionais e possibilita o aumento de liquidez da RENT3.

Em 31 de dezembro de 2016, a frota da Plataforma Localiza era composta de 143.131 carros, sendo: i) 129.116 próprios, incluindo 34.960 da Divisão de Aluguel de Frotas; ii) 8.864 pertencentes a franqueados no Brasil e iii) 5.151 pertencentes a franqueados no exterior. O sistema de franquias da Localiza é administrado no Brasil pela controlada Localiza Franchising Brasil S.A. com 158 agências franqueadas. Fora do Brasil a Companhia opera via franchising em outros 6 países da América do Sul (Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, e Uruguai) com 70 agências franqueadas.

Aluguel de carros: A Companhia aluga carros em agências localizadas nos aeroportos e fora de aeroportos. Os aluguéis são realizados por clientes pessoas jurídicas e por clientes pessoas físicas em viagens de negócios ou lazer, para atender as necessidades de aluguel de carro fora de suas cidades de residência, bem como para companhias seguradoras e montadoras, que oferecem carros reserva a seus clientes em caso de sinistros ou avarias mecânicas durante o período da apólice ou da garantia, respectivamente. A frota da divisão de aluguel de carros consiste, principalmente, de carros compactos flex-fuel, em linha com a demanda e com a produção das montadoras no Brasil. Doze meses após o uso pelo aluguel os carros são disponibilizados para venda para renovação da frota. A maior parte dos carros desativados é vendida diretamente a consumidores finais em locais destinados a esta venda. Ao evitar os custos de intermediação na venda dos carros, a Companhia tem condições de reduzir custos e maximizar o valor de recuperação desse ativo, uma vez que as despesas de vendas são normalmente inferiores aos descontos requeridos pelas intermediárias.

Gestão de frotas: A divisão de aluguel de frotas, através da sua controlada Localiza Gestão de Frotas, aluga carros através de contratos de longo prazo (períodos de até 48 meses) para pessoas jurídicas. A frota desta divisão é adequada às necessidades e solicitações dos seus clientes, sendo, portanto mais diversificada em modelos, cores e marcas que a frota da divisão de aluguel de carros. Ao término dos contratos firmados com os clientes a Localiza Gestão de Frotas vende parte dos carros desativados no aluguel de frotas diretamente a consumidores finais, assim como ocorre na divisão de aluguel de carros.

Franchising: A divisão de franchising é responsável pela administração e concessão de franquia do direito ao uso da marca Localiza, incluindo a transferência do conhecimento necessário à operacionalização do negócio. O negócio de franchising no Brasil é administrado pela controlada Localiza Franchising Brasil S.A. e, no exterior pela própria Localiza.

A Companhia é controlada por seus 4 principais executivos fundadores, Srs José Salim Mattar Júnior, Eugênio Pacelli Mattar, Antônio Cláudio Brandão Resende e Flávio Brandão Resende

A Companhia tem por objeto social o aluguel de carros e a gestão de participações societárias, no Brasil e no exterior. A Companhia possui as seguintes controladas:

Localiza Fleet S.A. (“Localiza Fleet”): Sociedade anônima de capital fechado que conduz o negócio de gestão de frotas.

Rental Brasil Administração e Participação S.A. (“Rental Brasil”): Sociedade anônima de capital fechado que tem como objeto social a administração e participação como quotista ou acionista em outras sociedades, compra, venda e aluguel de imóveis próprios e estacionamento de veículos.

Localiza Serviços Prime S.A. (“Localiza Prime”): Sociedade anônima de capital fechado que conduz principalmente a intermediação na venda dos carros desativados previamente utilizados pela Localiza e Localiza Fleet.

Car Assistance Serviços de Administração de Sinistros S.A. (“Car Assistance”): Sociedade anônima de capital fechado que administra sinistros de carros para seguradoras, credencia e negocia com as oficinas mecânicas e outros fornecedores, regula sinistros, aprova orçamentos e serviços realizados, gerencia informações e documentos comprobatórios dos sinistros e gerencia indenizações.

Localiza Franchising Brasil S.A. (“Franchising Brasil”): Sociedade anônima de capital fechado que conduz os negócios de franquia da marca “Localiza” no Brasil.

Localiza Franchising International S.R.L. (“LFI S.R.L.”): Sociedade de responsabilidade limitada, que administra as franquias da marca Localiza na Argentina.

Rental International LLC (“Rental International”): Subsidiária integral da Companhia constituída para conduzir atividades financeiras no exterior. Atualmente encontra?se sem operação.

FR Assistance Serviços de Administração de Sinistros S.A. (“FR Assistance”): Subsidiária integral da Localiza Franchising Brasil S.A., atualmente sem operação e que tem como objeto social a administração de sinistros de carros para seguradoras, credenciamento e negociação com as oficinas mecânicas e outros fornecedores, regulação de sinistros, aprovação de orçamentos e serviços realizados, gestão de informações e documentos comprobatórios dos sinistros e gerenciamento de indenizações.

O investidor deve analisar cuidadosamente os seguintes fatores de risco, além das outras informações fornecidas neste website antes de investir nas ações. Os negócios, a situação financeira, os resultados operacionais e as perspectivas da Companhia poderão ser adversa e materialmente afetados por qualquer um desses fatores de risco. O preço de mercado das Ações poderá diminuir devido a qualquer um desses fatores de risco e o investidor poderá perder todo seu investimento ou parte dele. Riscos adicionais, atualmente desconhecidos ou irrelevantes, também podem ter um efeito adverso em nossos negócios e no investimento das ações.

a)    Riscos relacionados à Companhia

(i)    Variação do valor residual dos carros

•    Os resultados da Companhia poderão ser afetados por mudança no valor estimado de venda dos carros e outras estimativas, que podem divergir da realidade
A depreciação estimada dos carros é calculada pela diferença entre o custo de aquisição do carro e o valor estimado para a data prevista de venda, deduzido dos descontos comerciais estimados e das despesas estimadas de venda. 
 

Além da estimativa do valor residual, outras estimativas podem afetar a depreciação e causar os mesmos impactos:
- Descontos comerciais estimados: nas vendas para consumidores e principalmente para revendedores são negociados descontos comerciais. 
Estimativas de descontos abaixo do realizado impactam negativamente o resultado quando da venda dos carros.
- Despesas estimadas de venda: as vendas para revendedores e principalmente para consumidores necessitam de uma rede de lojas, equipe de vendedores e gastos com publicidade. 
Estimativas destes gastos abaixo do realizado impactam negativamente o resultado quando da venda dos carros.

•    Alteração do valor residual dos carros em função da capacidade ociosa das montadoras
A crise econômica brasileira, que se intensificou no ano de 2015, juntamente com o cenário político, o grande protagonista do ano de 2016, e a baixa demanda no mercado interno, aliada às barreiras impostas pelos países que tradicionalmente importam o excedente da produção nacional, pode provocar aumento dos estoques de carros novos ou subutilização da capacidade instalada das montadoras, que têm buscado o ajuste do estoque através da redução da produção de veículos.
Esse cenário econômico poderá impactar negativamente o mercado de carros seminovos e usados e, consequentemente, o valor depreciável da frota, em função de eventual flutuação no valor residual estimado dos carros.
Adicionalmente, a redução da produção de veículos pode levar as montadoras a atrasarem a entrega de carros, o que pode impactar os resultados operacionais da Companhia em função da prorrogação do prazo de desativação dos carros.

(ii)    Os negócios da Companhia exigem capital intensivo de longo prazo para financiar o investimento na frota
A Companhia depende da capacidade de levantar recursos para investimento em renovação e expansão da sua frota, que, por sua vez, depende do desempenho operacional, da geração de caixa e da capacidade de captar recursos de longo prazo no mercado de capitais e/ou bancos. A Companhia não pode garantir que conseguirá obter recursos suficientes para financiar os investimentos em bens de capital e para financiar sua estratégia de renovação e expansão da frota e alongamento de dívidas vincendas em custos e prazos adequados, em decorrência de condições macroeconômicas negativas, seu desempenho ou outros fatores externos que podem afetá-la negativamente.

(iii)    A Companhia está sujeita a compromissos restritivos (covenants)

A Companhia está sujeita a compromissos restritivos (covenants) de acordo com os termos e as condições das escrituras de debêntures, que incluem disposições de vencimento antecipado mediante deliberação em Assembleia Geral de Debenturistas, como, por exemplo, a não manutenção de certos índices financeiros. Caso os índices financeiros atinjam os limites fixados nos covenants, a Companhia não poderá contrair novas dívidas.

(iv)    A perda de membros da Alta Administração ou a incapacidade de atrair e reter pessoal pode ter efeito adverso material sobre as atividades, situação financeira e resultados operacionais da Companhia

A Administração e operações da Companhia são dependentes em grande parte da participação de pessoas chaves da Diretoria e Alta Gerência. A Companhia não pode assegurar que será bem sucedida na atração ou retenção de pessoas chaves. A perda de vários ocupantes de cargos chaves ou a incapacidade de atrair e contratar outros executivos para integrá-los poderá afetar adversamente a capacidade da Companhia de implementar a estratégia de negócio e manter sua situação financeira e resultados operacionais.

(v)    A Companhia não mantém seguro contra certos riscos

Os carros da Divisão de Aluguel de Carros são cobertos por seguros apenas durante o período em que estão alugados. Assim, a Companhia está exposta a responsabilidades para as quais não está segurada, decorrentes de lesão corporal, morte e dano material resultantes de sinistros com os carros alugados acima do valor coberto pelo seguro contratado pelos clientes ou para os carros em que o cliente não contratou o seguro. Na hipótese de não conseguir recuperar estes valores dos usuários/clientes que alugaram os carros, os resultados operacionais da Companhia poderão ser afetados negativamente.

(vi)    A Companhia está sujeita ao risco de reavaliação do seu rating local

Os ratings locais da Companhia estabelecidos pelas agências Moody’s, Standard & Poor’s e Fitch Ratings são, respectivamente, Aa1.br/Negativa, brAA+/Negativa e AAA(bra)/Estável e podem vir a ser impactados pela alteração do rating soberano do Brasil. Caso o rating local da Companhia seja rebaixado para o equivalente a Aa3.br, AA- e AA- pelas agências Moody’s, Standard & Poor’s e Fitch Ratings, respectiva e individualmente, a 7ª emissão de debêntures da Companhia exigirá a convocação de uma Assembleia Geral de Debenturistas que decidirá ou não pelo vencimento antecipado das debêntures. Além disso, qualquer rebaixamento do rating local da Companhia poderá aumentar os custos de captação de empréstimos e tornar o acesso ao mercado de capitais de dívida mais seletivo.

b)    Riscos relacionados aos setores da economia nos quais a Companha atua

(i)    A queda no nível de confiança e na atividade econômica no Brasil poderá reduzir a demanda por aluguel de carros

Os resultados operacionais da Companhia, principalmente os relacionados ao mercado de aluguel de carros e seminovos, são fortemente afetados pelo nível de confiança e de atividade econômica no Brasil. Uma redução na atividade econômica resulta em redução da empregabilidade, viagens, investimentos e, consequentemente, na demanda de aluguéis de carros e venda de seminovos. Na hipótese de uma queda no consumo, a Companhia poderá reduzir o tamanho de sua frota para manter sua taxa de ocupação. Esses fatores poderão afetar negativamente: (i) os resultados operacionais devido à perda de escala decorrente da menor diluição de custos fixos; (ii) a demanda na Divisão de Gestão de Frotas; e (iii) a demanda dos carros desativados. 

(ii)    A demanda de aluguel de carros pode ser afetada pela queda no fluxo de passageiros que viajam de avião

As operações de aluguel de carros em aeroportos representam uma participação importante na receita da Companhia. No exercício encerrado em 31 de dezembro de 2016, 33,0% da receita desse segmento (excluindo a receita da venda dos carros e das franquias) foram gerados de locações em aeroportos. Dessa forma, a redução no fluxo de passageiros que viajam de avião por um período de tempo prolongado pode afetar negativamente os negócios e o resultado operacional da Companhia. Dentre os eventos que poderão causar a redução nesse fluxo estão: maiores tarifas aéreas, greves, redução da atividade econômica, acidentes aéreos, incidentes terroristas e ocorrências naturais. 

(iii)    Os segmentos de aluguel de carros e de gestão de frotas são altamente competitivos

Os segmentos de aluguel de carros e de gestão de frotas são altamente competitivos. Em 31 de dezembro de 2016, segundo a ABLA – Associação Brasileira de Locadoras de Automóveis existiam 11.199 empresas de aluguel de carros e de gestão de frotas em operação no Brasil. Contudo, também segundo a ABLA, existem aproximadamente 29 mil CNPJs com o CNAE “locação de automóveis sem condutor”, podendo assim o mercado de locadoras ser maior que o informado pela ABLA. O segmento de gestão de frotas tem poucas barreiras de entrada e as tarifas de locação são um fator importante na decisão dos clientes. A Companhia enfrenta a concorrência de empresas de aluguel nacionais e internacionais, de vários tamanhos. Dentre esses concorrentes, encontram-se diversas locadoras nos mercados locais que, por natureza de seu tamanho pequeno e de sua operação local, operam com menores custos fixos e oferecem preços competitivos, mesmo com menor escala na compra dos carros e maiores custos de capital. O ambiente altamente competitivo e a estratégia de crescimento dos competidores podem provocar uma queda de preço nas tarifas de aluguel e afetar negativamente o resultado operacional da Companhia.

c)    Riscos relacionados aos acionistas

(i)    O Estatuto Social da Companhia contém disposições destinadas a proteger a dispersão acionária, as quais poderão impedir ou atrasar operações que favoreçam os seus acionistas

O artigo 38 do Estatuto Social da Companhia contém certas disposições que têm o efeito de dificultar as tentativas de aquisição de parcelas substanciais das ações em circulação por um investidor isolado ou por um pequeno grupo de investidores. Qualquer acionista ou grupo de acionistas representando o mesmo interesse que se torne detentor de 15% ou mais do capital social deverá encaminhar uma comunicação ao Diretor de Relações com Investidores, contendo: (i) as informações previstas no artigo 12 da Instrução CVM nº 358/02 e nos itens “i” até “m” do inciso I do Anexo II à Instrução CVM nº 361/02, conforme alterada; (ii) informação sobre quaisquer outros Direitos de Natureza Societária que possua; (iii) a informação sobre a obrigação de efetivar a Oferta Pública de Aquisição de Ações – OPA por Atingimento de Participação Relevante; (iv) informação do maior preço pago pelo Novo Acionista Relevante nos 12 (doze) meses que antecederem o atingimento da Participação Acionária Relevante, ajustado por eventos societários, tais como a distribuição de dividendos ou juros sobre o capital próprio, grupamentos, desdobramentos, bonificações, exceto aqueles relacionados a operações de reorganização societária; e (v) a informação do preço de aquisição por ação objeto da OPA por Atingimento de Participação Relevante que o Novo Acionista Relevante se propõe a pagar, observado o parágrafo 2º do artigo 38 do Estatuto Social.
Disposições desta natureza poderão causar dificuldades ou limitar operações que poderão ser do interesse de alguns investidores.

(ii)    A Companhia não tem um acionista controlador ou grupo de controle titular de mais de 50% do capital votante, o que pode deixá-la susceptível a alianças entre acionistas, conflitos entre acionistas e outros eventos decorrentes da ausência de um acionista controlador ou grupo de controle titular de mais que 50% de seu capital votante

A Companhia não tem um acionista ou grupo controlador titular da maioria absoluta do seu capital votante. É possível, dessa forma, que se formem alianças ou acordos de votos entre os acionistas, o que poderia ter o mesmo efeito de se ter um grupo de controle. Caso surja um grupo de controle e esse passe a deter o poder decisório da Companhia, as políticas corporativas e as estratégias podem sofrer mudanças repentinas e inesperadas, incluindo, mas não se limitando, a substituição dos seus administradores. Além disso, a Companhia pode ficar mais vulnerável a tentativas hostis de aquisição de controle e a conflitos daí decorrentes.
A ausência de um acionista ou grupo controlador titular de mais de 50% do capital votante poderá dificultar certos processos de tomada de decisão, pois o quórum mínimo exigido por lei para determinadas deliberações poderá não ser atingido. Nesse caso, a Companhia e os acionistas minoritários poderão não gozar da mesma proteção conferida pela Lei nº 6.404/76 contra abusos praticados por outros acionistas e, em consequência, poderão ter dificuldade em obter a reparação dos danos sofridos. Atualmente, a Companhia está sob controle dos fundadores que detém conjuntamente 25,4% do capital social. Qualquer mudança repentina ou inesperada no quadro de administradores, na política empresarial ou no direcionamento estratégico, tentativa de aquisição de controle ou qualquer disputa entre acionistas concernentes aos seus respectivos direitos pode afetar adversamente a Companhia.

d)    Riscos relacionados à regulação dos setores em que a Companhia atua

(i)    A Companhia está sujeita ao risco de não renovação de concessões/locações aeroportuárias

No Brasil, a Companhia conduz diretamente as operações de aluguel em 70 aeroportos, ao passo em que suas franquias operam em outros 33 aeroportos. A Companhia conduz operações em cada aeroporto no Brasil de acordo com seus contratos de concessão/locação firmados com a INFRAERO ou concessionárias privadas e autoridades aeroportuárias estaduais e municipais. Os prazos dessas concessões/locações variam entre 12 e 120 meses. Dos contratos de concessão/locação mencionados acima, 21 vencerão em 2017 e 10 em 2018. Em 2016, 33,0% da receita de aluguel de carros foi derivada de locações em aeroportos (excluindo a receita da venda dos carros e franquias).
Apesar da sua escala em aeroportos, a Companhia não pode prever se continuará a ser bem-sucedida na renovação de todas ou substancialmente todas essas concessões/locações em custos aceitáveis. A perda de uma quantidade significativa de concessões/locações em pequenos aeroportos ou a perda de qualquer concessão/locação em aeroportos importantes poderá resultar em uma redução significativa em sua receita e afetar negativamente seus negócios, seus resultados operacionais e suas perspectivas.

(ii)    Mudanças na legislação fiscal podem resultar no aumento de determinados tributos diretos e indiretos, o que poderá reduzir a rentabilidade da Companhia

O governo brasileiro regularmente propõe mudanças no regime tributário aplicável a diferentes setores da economia, representando potencial aumento da carga tributária da Companhia e da carga tributária de seus clientes e fornecedores.
Tais mudanças incluem alterações em alíquotas, bases de cálculo e hipóteses de dedutibilidade e, ocasionalmente, a criação de tributos temporários, cuja receita é vinculada a finalidades governamentais específicas. Caso essas mudanças aumentem, direta ou indiretamente, a carga tributária da Companhia, ela pode ter sua margem bruta reduzida, impactando adversamente os seus negócios e resultados operacionais.
Alterações na legislação brasileira que resultem em aumento na carga tributária poderão gerar impactos adversos nos resultados operacionais da Companhia. Está na pauta do Governo Federal a realização de uma reforma tributária que estuda algumas alternativas de simplificação, mas que poderão implicar em aumento da carga tributária para a Companhia. Dentre as quais podemos citar o retorno da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) e a unificação das contribuições do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS). Adicionalmente, apesar de não figurar mais como prioridade de mudança, não podemos descartar a possibilidade de: (a) elevação da alíquota do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) incidente sobre o pagamento de juros sobre o capital próprio pagos ou creditados aos sócios ou acionistas de 15% para 18%; (b) limitação do percentual a ser aplicado sobre o patrimônio líquido da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) para 5%; e (c) suspensão ao usufruto do benefício fiscal à pesquisa e desenvolvimento de inovação tecnológica, estabelecido pela Lei nº 11.196/05, “Lei do bem”.
Caso essas mudanças aumentem a carga tributária da Companhia, esta poderá ter sua margem de lucro líquido reduzida, o que acarretará impactos adversos nos resultados da Companhia.
Adicionalmente, a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (“IPI”) incidente sobre os veículos novos afeta diretamente o mercado de venda dos veículos seminovos. Caso a alíquota do IPI para carros novos sofra reduções, o valor residual dos veículos da Companhia também reduzirá, o que pode vir a impactar adversamente a depreciação dos carros da Companhia e de sua subsidiária Localiza Fleet e, consequentemente, os resultados operacionais.

e)    Riscos relacionados aos clientes

Risco de crédito

A Companhia está sujeita ao risco de crédito por pagamentos devidos por seus clientes pelo aluguel de carros e pela venda dos carros desativados. Nos exercícios sociais encerrados em 31 de dezembro de 2016, 2015 e 2014, os pagamentos a prazo ou por outros meios de pagamento que não cartão de crédito representaram 90,3%, 67,4% e 67,6%, respectivamente, do saldo de contas a receber da Companhia. Perdas acima das expectativas podem impactar adversamente os resultados financeiros e operacionais da Companhia. Igualmente, a Companhia está sujeita ao risco de crédito com relação a clientes pela gestão de frotas de empresas e a franqueados, em hipóteses de descumprimento dos respectivos contratos.

f)    Riscos relacionados aos países estrangeiros onde a Companhia atue

Perdas de contratos de franquias no exterior

Além do Brasil, a Companhia atua em seis países da América do Sul, (Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai e Uruguai) na forma de franchising, com receita total anual de R$1,4 milhão, R$1,6 milhão e R$1,0 milhão em 2016, 2015 e 2014, respectivamente. A perda de algum franqueado internacional poderá afetar a rede de distribuição da Companhia na América do Sul.

g)    Riscos relacionados a suas subsidiárias

Os riscos relacionados à subsidiária integral Localiza Fleet são substancialmente os mesmos relacionados às atividades da Companhia.

 

O website de relações com investidores da Localiza pode conter declarações prospectivas, as quais estão sujeitas a riscos e incertezas, pois foram baseadas em crenças e premissas da Administração e em informações disponíveis.

Declarações prospectivas incluem afirmações a respeito das intenções, crenças ou expectativas atuais da Companhia ou da Administração em relação a uma série de assuntos, entre os quais se destacam:

  • o rumo das operações futuras;
  • a implementação de estratégias operacionais, incluindo planos potenciais ou existentes de maior diversificação geográfica ou de produtos;
  • os fatores ou tendências que afetem os negócios da Companhia, participação no mercado, perspectivas, situação financeira ou os resultados operacionais;
  • as condições gerais de ordem econômica, política e comercial no Brasil, incluindo as taxas de crescimento econômico, juros e inflação;
  • mudanças nos preços de mercado e nas condições de concorrência;
  • condições setoriais, tais como a demanda pelo serviço, a intensidade da concorrência, pressões sobre os preços, lançamento de novos produtos pela Companhia ou por seus concorrentes, e a situação financeira dos clientes da Companhia;
  • a ausência de mudanças na legislação e nas normas vigentes relativas a impostos e veículos, bem como na legislação e nas normas vigentes que regem outros produtos e serviços, os quais poderiam tornar a locação e venda de carros, administração de frota e outros produtos e serviços menos atraentes, e a implementação de mudanças que poderiam tornar tais produtos e serviços mais atraentes;
  • a capacidade da Companhia de continuar a desenvolver novos produtos e serviços relacionados a essas áreas;
  • fatores operacionais, tais como o sucesso contínuo das atividades operacionais, tecnológicas e de marketing da Companhia, bem como o consequente atendimento dos níveis de eficiência desejados; e
  • outros fatores de risco apresentados na seção Fatores de Risco.

O investidor deve estar ciente de que os fatores mencionados acima, além de outros discutidos neste website de relações com investidores, poderão afetar os resultados futuros da Companhia e poderão levar a resultados diferentes daqueles eventualmente expressos em declarações prospectivas neste website e em documentos aqui contidos.

Declarações prospectivas também podem incluir informações sobre os resultados futuros possíveis ou presumidos das operações da Companhia. Essas informações podem ser apresentadas em diversas seções neste website, bem como em declarações que incluam as palavras "acredita", "pode", "continua", "espera", "prevê", "pretende", "planeja", "estima", "antecipa", ou similares.

Declarações prospectivas não representam garantia de desempenho. Elas envolvem riscos, incertezas e premissas, pois se referem a eventos futuros e, portanto, dependem de circunstâncias que podem ou não ocorrer. A condição futura da situação financeira, resultados operacionais, estratégias, participação de mercado e valores da Companhia poderá apresentar diferença significativa se comparada àquela expressa ou sugerida nas referidas declarações prospectivas. Muitos dos fatores que determinarão esses resultados e valores estão além da capacidade de controle ou previsão da Companhia.

O investidor é alertado para não depositar confiança indevida em declarações prospectivas.

 

CADASTRE-SE NO MAILING

Localiza nas redes sociais
Localiza

Informações ao consumidor:

Localiza Rent a Car S/A - www.localiza.com - CNPJ nº 16.670.085/0001-55

Sede: Av. Bernardo de Vasconcelos, 377 Cachoeirinha, CEP: 31150-900 – Belo Horizonte – MG.

Telefone: 0800 979 2000 - E-mail: centraldereservas@localiza.com

Novo Mercado, Ibovespa, IBrX50, Itag, otcOx
RiWeb